Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (2007-11-01)

GESTÃO DAS EMPRESAS MULTINACIONAIS E OS CONFLITOS DE AGÊNCIA [doi: 10.5329/RECADM.20070602007]

  • FELIPE MENDES BORINI,
  • Eduardo Pozzi Lucchesi

DOI
https://doi.org/10.5329/121
Journal volume & issue
Vol. 6, no. 2
pp. 1 – 10

Abstract

Read online

Tendo como pressuposto o arcabouço conceitual da teoria de agência e as estratégias das subsidiárias nas corporações multinacionais, este artigo teve um duplo objetivo. Primeiramente, verificar a existência de potenciais conflitos de agência entre a matriz e uma amostra de 118 subsidiárias de multinacionais estrangeiras instaladas no Brasil com base nas variáveis de controle: grau de comunicação da subsidiária com a matriz e grau de autonomia da subsidiária em relação à matriz. Em segundo lugar, verificar se as subsidiárias que apresentam potenciais conflitos de agência possuem uma performance financeira e estratégica inferior em relação àquelas que não apresentam tais conflitos. Após o procedimento de análise de cluster, análise discriminante e Anova, os resultados encontrados mostraram que em relação à performance financeira, as subsidiárias que apresentam potenciais conflitos de agência possuem uma performance inferior em relação ao crescimento das vendas e, em relação à performance estratégica, verificou-se que as subsidiárias que apresentam potenciais conflitos de agência possuem uma performance inferior no que se refere ao desenvolvimento de competências e cumprimento das metas ao longo dos anos de suas operações.