Teoria democrática contemporânea modelo democrático competitivo e modelo democrático popular

Em Tese. 2013;10(1):1-27 DOI 10.5007/1806-5023.2013v10n1p1

 

Journal Homepage

Journal Title: Em Tese

ISSN: 1806-5023 (Online)

Publisher: Universidade Federal de Santa Catarina

Society/Institution: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

LCC Subject Category: Political science: Political science (General) | Social Sciences: Social sciences (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: English, Spanish; Castilian, Portuguese

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS

Denisson SILVA (Universidade Federal de Alagoas / Mestrando em Sociologia)
Ranulfo PARANHOS (Universidade Federal de Alagoas)
Gabriel SETTI (Universidade Federal de Alagoas)
Willber NASCIMENTO (Universidade Federal de Alagoas)

EDITORIAL INFORMATION

Peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 28 weeks

 

Abstract | Full Text

http://dx.doi.org/10.5007/1806-5023.2013v10n1p1 Quais as questões semelhantes e contrárias na literatura acerca da teoria democrática contemporânea? O presente artigo  tem como objetivo responder a essa questão através de uma revisão bibliográfica sobrea teoria democrática contemporânea. Estabelecemos, para fins analíticos, dois polos teóricos da democracia contemporânea: (1) democrático competitivo – que compreende o “elitismo democrático” de Joseph Schumpeter e o “pluralismo” de Robert Dahl; e (2) democrático popular – compreendendo a “teoria participacionista” de Carole Pateman e a “teoria deliberacionista” de Jürgen Habermas. Nosso público alvo são estudantes de graduação, pós-graduação e pesquisadores em geral. Para fins didáticos, comparamosos modelos entre si, bem como os posicionamentos de tais teorias acerca da (1) participação,(2) representação política, (3) processo democrático e (4) estabilidade governamental.