Proteinograma do líqüido cefalorraquidiano na lepra

Arquivos de Neuro-Psiquiatria. 1962;20(4):279-288 DOI 10.1590/S0004-282X1962000400003

 

Journal Homepage

Journal Title: Arquivos de Neuro-Psiquiatria

ISSN: 0004-282X (Print); 1678-4227 (Online)

Publisher: Academia Brasileira de Neurologia (ABNEURO)

Society/Institution: Academia Brasileira de Neurologia (ABN)

LCC Subject Category: Medicine: Internal medicine: Neurosciences. Biological psychiatry. Neuropsychiatry

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: English

Full-text formats available: PDF, HTML, XML

 

AUTHORS

A. Spina-França (Universidade de São Paulo)
Wilson Brotto (Estado de São Paulo)

EDITORIAL INFORMATION

Peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 7 weeks

 

Abstract | Full Text

Foi estudado o proteinograma do LCR de 25 pacientes portadores de lepra. Os resultados são registrados e analisados em relação ao proteinograma do sôro, ao tempo de evolução da doença, à forma clínica de lepra e ao resultado da reação de Mitsuda. O proteinograma do LCR estava alterado em 11 casos: em 6 havia aumento do teor de albumina, em 3 do teor de γ-globulina e em 2, do de β-globulina. Foram encontradas alterações das relações normalmente existentes entre as frações proteicas do LCR e do soro: havia tendência a ser maior que a normal a relação referente à albumina e β-globulinas; tendência contrária foi observada quanto às α-globulinas. O aumento do teor de albumina no LCR foi observado em pacientes portadores de formas inespecíficas de lepra, com maior freqüência nos casos de curta evolução. O aumento de β-globulina no LCR ocorreu em portadores de lepra tuberculóide. Havia correlação positiva entre o teor dessa fração e o grau de positividade da reação de Mitsuda. Tal correlação, porém, não se mostrou significativa. O aumento da γ-globulinorraquia foi discreto em todos os casos, podendo ser secundário ao aumento do teor dessa fração no sôro e foi observado em portadores de lepra lepromatosa. Havia correlação negativa entre o teor dessa globulina no LCR e o resultado da reação de Mitsuda; o valor dessa correlação mostrou-se estatisticamente significativo.