Opus (2021-01-01)

Música como ciência, ciência como música: provocações epistemológicas

  • Rafael da Silva Noleto

DOI
https://doi.org/10.20504/opus2020c2619
Journal volume & issue
Vol. 26, no. 3
pp. 1 – 22

Abstract

Read online

O peso epistemológico das Ciências Musicais é aqui interpelado tendo em vista que a Música é um campo que está situado em dois regimes de conhecimento: o artístico e o científico. Se, dentro de contextos universitários de pesquisa, as Ciências Musicais se configuram como área interdisciplinar, quais são as implicações epistêmicas na relação com outros campos disciplinares? Percebe-se que, para se constituírem como área de pesquisa, diversos subcampos das Ciências Musicais recebem interferência epistêmica direta da Antropologia, Filosofia e História. Entretanto, a Música não parece ser protagonista dos grandes debates que mudam os rumos teóricos desses outros campos do saber. Com foco de análise direcionado para a Etno/Musicologia, este texto realiza uma abordagem antropológica das Ciências Musicais no intuito de sugerir caminhos possíveis para a afirmação de sua importância epistêmica num escopo mais amplo de produção do conhecimento.

Keywords