Revista de Arqueologia (2020-08-01)

A matriz Aruaque

  • Fernando Santos-Granero,
  • Fernando Ozorio de Almeida

DOI
https://doi.org/10.24885/sab.v33i2.731
Journal volume & issue
Vol. 33, no. 2
pp. 135 – 164

Abstract

Read online

A relação entre língua e cultura tem sido tema de muita especulação e controvérsia no âmbito da filosofia e das ciências sociais ocidentais. Os autores alternaram entre apoiar a noção de ‘família linguística’ e a de ‘área cultural’. Neste artigo, avalio o significado dessas noções por meio da análise da “unidade Aruaque”, que foi pressuposta por muitos anos, mas recebeu pouca atenção por parte dos especialistas, e comparo a organização sociocultural dos Aruaque com a de seus “outros” mais significativos em três regiões tropicais: o leste do Peru, o noroeste da Amazônia e o nordeste da América do Sul. Meu argumento é que existe uma conexão entre língua e cultura expressa no fato de que pessoas que pertencem a uma mesma família linguística compartilham uma mesma ‘matriz’ cultural e um determinado ‘etos’.

Keywords