EFICIÊNCIA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE NAS MICRORREGIÕES DO ESTADO DE SANTA CATARINA DE 2010 A 2012

Revista Gestão & Saúde. 2015;6(1):201-217

 

Journal Homepage

Journal Title: Revista Gestão & Saúde

ISSN: 1982-4785 (Online)

Publisher: Universidade de Brasília

LCC Subject Category: Medicine: Medicine (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS


Sergio Begnini (Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE)

Lirane Elise Defante Ferreto de Almeida (Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.)

Andreia Casagrande (Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ.)

EDITORIAL INFORMATION

Blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 9 weeks

 

Abstract | Full Text

Um sistema de saúde deve atender e possibilitar proteção à saúde da população. No caso do Brasil é o Estado, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), que deve garantir aos brasileiros, acesso à saúde de qualidade. Essa pesquisa tem como objetivo identificar a eficiência dos serviços de saúde prestados pelo SUS, segundo as microrregiões do Estado de Santa Catarina nos anos 2010, 2011 e 2012. Para realização dos cálculos foi utilizado o modelo Retorno Constante de Escala com orientação para o produto (output), por meio do software DEA-SEAD. Sendo que a DEA trabalho com recorte comparando a eficiência das DMUs em determinados períodos, percebe-se que a microrregião de Xanxerê foi a que se destacou positivamente, uma vez que em 2010 era considerada ineficiente, e em 2012 foi considerada a mais eficiente. Já as microrregiões de Tijucas e Florianópolis se destacaram negativamente, uma vez que sua eficiência reduziu. Diante destes resultados entende-se que existe potencial de aumento na qualidade dos serviços prestado no setor de saúde à população do estado de Santa Catarina. Também parece haver significativas diferenças nos níveis de eficiência entre as microrregiões.