Relações do trágico em Combate de Negro e de Cães de Bernard-Marie Koltès: da teoria à prática

Revista Latino Americana de Estudos em Cultura e Sociedade. 2017;3(2):29-43 DOI 10.23899/relacult.v3i2.407

 

Journal Homepage

Journal Title: Revista Latino Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

ISSN: 2525-7870 (Online)

Publisher: Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

Society/Institution: Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

LCC Subject Category: General Works: History of scholarship and learning. The humanities | Social Sciences

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese, Spanish

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS


Lucas Ribeiro Galho (Universidade Federal de Pelotas)

Fernanda Vieira Fernandes (Universidade Federal de Pelotas)

Maria Amélia Gimmler Neto (Universidade Federal de Pelotas)

EDITORIAL INFORMATION

Blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 12 weeks

 

Abstract | Full Text

O presente trabalho tem por objetivo analisar e discutir o texto Combate de negro e de cães (1979), de Bernard-Marie Koltès, buscando entendê-lo como um exemplar trágico no fim do século XX. A partir da investigação acerca dos componentes dramáticos que conferem tragicidade à peça, bem como dos elementos propulsores do trágico na atualidade, tentar-se-á estabelecer um diálogo breve e inicial entre o texto (objeto de estudo do autor no trabalho de conclusão do curso de Teatro-Licenciatura da Universidade Federal de Pelotas) e a montagem do espetáculo Combate: corpos mortos, vivos e por vir, realizado pelo “Laboratório de Dramaturgismo e Direção Rotativa de Cenas” da referida instituição, coordenado pelas professoras Dra. Fernanda Vieira Fernandes e Ma. Maria Amélia Gimmler Netto. Apoiada na obra de Koltès e abordando temas pertinentes para a sociedade contemporânea, a encenação institui o racismo e o machismo como seus motores dramáticos, estabelecendo-os como importante pauta de debate.