Anuário de Literatura (2015-05-01)

História e identidade na ficção de José Eduardo Agualusa

  • Maurício Silva

DOI
https://doi.org/10.5007/2175-7917.2015v20n1p213
Journal volume & issue
Vol. 20, no. 1

Abstract

Read online

Nos países africanos lusófonos, a produção literária quase sempre esteve vinculada aos eventos históricos, vinculo que resulta num complexo processo de construção de uma identidade cultural. O próprio desenvolvimento da literatura africana lusófona sugere essa perspectiva, na medida em que história e identidade tornam-se, a partir do século XX, conceitos fundamentais para a constituição de uma literatura independente. Analisando a produção literária africana lusófona contemporânea, não há como negar nem sua procedência anticolonialista, no plano histórico, nem sua vinculação com os conceitos de nacionalismo, no âmbito identitário. Assim, se de alguma maneira essa literatura mostra-se vinculada a um projeto mais amplo de luta anticolonial, ela apresenta também uma espécie de desígnio nacionalista, promovendo, desse modo, o entrecruzamento entre história e identidade. Desse modo, a literatura lusófona produzida no continente africano chega ao presente século, por um lado, consolidando essas duas matrizes ideológicas responsáveis por sua constituição e desenvolvimento e, por outro lado, buscando ressignificar a relação que ambos os conceitos estabelecem entre si. O presente artigo procura analisar a relação entre história e identidade na literatura angolana, em especial na prosa de ficção de José Eduardo Agualusa. O artigo destaca o modo de representação da história angolana em sua produção literária.

Keywords