In Autumn 2020, DOAJ will be relaunching with a new website with updated functionality, improved search, and a simplified application form. More information is available on our blog. Our API is also changing.

Hide this message

Processo Colaborativo de Criação em Combate: diálogo entre teoria e prática mediante relatos de experiências

Revista Latino Americana de Estudos em Cultura e Sociedade. 2017;3(2):44-53 DOI 10.23899/relacult.v3i2.409

 

Journal Homepage

Journal Title: Revista Latino Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

ISSN: 2525-7870 (Online)

Publisher: Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

Society/Institution: Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

LCC Subject Category: General Works: History of scholarship and learning. The humanities | Social Sciences

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Spanish, Portuguese

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS


Mario Celso Pereira Junior (Universidade Federal de Pelotas)

Juliana Caroline Silva (Universidade Federal de Pelotas)

Maria Amélia Gimmler Netto (Universidade Federal de Pelotas)

Fernanda Vieira Fernandes (Universidade Federal de Pelotas)

EDITORIAL INFORMATION

Blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 12 weeks

 

Abstract | Full Text

Este trabalho visa a reflexão sobre o processo colaborativo, junto a prática de criação de um espetáculo do Laboratório de Dramaturgismo e Direção Rotativa de Cenas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), coordenado pela Prof.ª Dra. Fernanda Vieira Fernandes, responsável pelo dramaturgismo, e Prof.ª Ma. Maria Amélia Gimmler Netto, responsável pela encenação. O grupo é constituído pelas professoras, por quatro estudantes e três alunos egressos do Curso de Teatro-Licenciatura do Centro de Artes da UFPel. A dramaturgia criada foi livremente inspirada na peça Combate de Negro e de Cães, do autor francês Bernard-Marie Koltès, contando ainda com depoimentos pessoais dos integrantes, as poesias Um útero é do tamanho de um punho e Mulher de Vermelho, da autora Angélica Freitas, além de canções e outros textos. A abertura na participação do processo de criação é uma raiz da metodologia adotada, que será versada neste artigo. Como referencial teórico deste artigo, utilizaremos textos de Araújo, Nicolete, Fischer e Abreu, que fazem uma reflexão sobre o processo coletivo e o processo colaborativo como modo de criação, juntamente, analisaremos as vivências práticas do laboratório de criação. Pretende-se, portanto, exemplificar o processo colaborativo fundamentando a prática do laboratório por intermédio de relatos da criação do espetáculo Combate. Buscamos entender, por fim, as particularidades dessa metodologia, a sua importância no papel da criação, e o reconhecimento do grupo enquanto coletivo atuante na reflexão crítica em relação ao processo.