A religião da política em Israel Religion of politics in Israel

Estudos Avançados. 2008;22(62):95-118 DOI 10.1590/S0103-40142008000100007

 

Journal Homepage

Journal Title: Estudos Avançados

ISSN: 0103-4014 (Print); 1806-9592 (Online)

Publisher: Universidade de São Paulo

LCC Subject Category: Social Sciences: Social sciences (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Spanish, Portuguese

Full-text formats available: PDF, HTML, XML

 

AUTHORS


David Bidussa

EDITORIAL INFORMATION

Double blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 3 weeks

 

Abstract | Full Text

A sociedade israelense constitui um exemplo interessante de religião da política, ou seja, um exemplo de como a dimensão política de uma sociedade pode adquirir um aspecto religioso próprio, assumindo um caráter de sacralidade. No início da experiência sionista acentua-se em Israel a religião do trabalho, a construção de um calendário cívico, a formação de uma nova identidade nacional. A partir da metade dos anos 1970, outros fatores prevalecem: a memória da Shoah, a construção de lugares do martírio nacional, o mito da resistência até o último homem. Chama-se a atenção, neste ensaio, para os percursos de uma sociedade civil que sente a necessidade de reescrever os contornos de sua identidade e remodelar a memória pública, pensando em si mesma como comunidade nacional.<br>Israeli society constitutes an interesting example of the religion of politics, that is, an example of how the political dimension of a society may acquire a religious aspect of its own and assume a sacred character. In the beginning of the Zionist experience, the religion of labor, the construction of a civic calendar and of a new national identity gained importance. From the mid 1970’s on, other factors have prevailed. They are: memories from the Ha-Shoah, the construction of national martyrdom sites, and the myth of resistance until the last man. In this essay, the tracks taken by a civil society that feels the necessity of redefining the contours of its identity and remodeling its public memory, considering itself a national community, are emphasized.