Revista Cientí[email protected] (Mar 2017)

AVALIAÇÃO DE MUDAS DO TOMATEIRO SOBINFLUÊNCIA DE BIOESTIMULADORES

  • Osvaldo Machado Pimenta Junior,
  • Victor Alves Ribeiro,
  • Alexandre Max Pimentel Milhomem

Journal volume & issue
Vol. 3, no. 2
pp. 37 – 45

Abstract

Read online

O tomate ocupa posição de grande importância tanto no consumo do fruto no seu estado natural, quanto no processado, sendo, considerada uma hortaliça de ampla utilização. As mudas são essências para o sistema produtivo, já que são elas que vão para o campo de produção. Existem substancias não muito difundida na olericultura, que já são mais utilizadas nas grandes culturas, como os fitormônios com efeitos morfológicos e fisiológicos, podendo gerar ganhos qualitativos e quantitativos. Objetivou-se avaliar a aplicação de fitormônios (GA3, AIB) que contribua para um maior desenvolvimento de mudas do tomateiro. Foram feitas duas aplicações de AIB e GA3 nas concentrações de 0,05 g.L-1 com 10 e 20 dias após a germinação. Aos 36 dias após a semeadura, foram avaliadas as características: altura de plântula, diâmetro do caule, massas da matéria seca e fresca, obtidas por retirada das plântulas da bandeja, lavadas em água corrente para retirada do excesso de substrato aderido as raízes, e posterior pesagem da matéria fresca. O ácido giberélico se mostrou mais eficiente no aumento da altura quando aplicado na concentração de 0,05/L. A dupla aplicação de ácido giberélico e indolbutírico resultaram em um efeito mais equilibrado no desenvolvimento aéreo das muda e maior ganho de massa seca. Palavras-chave: ácido giberélico, ácido indolbutírico, Solanum lycopersicum L.