Políticas Públicas para o Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade

Conhecer. 2015;5(14):48-69

 

Journal Homepage

Journal Title: Conhecer

ISSN: 2238-0426 (Online)

Publisher: Universidade Estadual do Ceará

Society/Institution: Universidade Estadual do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas

LCC Subject Category: Political science: Political institutions and public administration (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese, English

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS


Marcelo Franco e Souza

Marinina Gruska Benevides

EDITORIAL INFORMATION

Peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 12 weeks

 

Abstract | Full Text

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) é um dos diagnósticos que vem ganhando importância e destaque na prática clínica, psicológica e médica, sobre tudo em crianças e adolescentes. Se caracteriza por níveis inadequados de atenção, levando a distúrbios motores, perceptivos, cognitivos e comportamentais. De epidemiologia crescente (prevalência entre 3% e 6% em todo o mundo e no Brasil) e etiologia complexa (multifatorial, combinando componentes biológicos e sociais). Apesar de ser considerado por muitos como transtorno do neurodesenvolvimento, de origem biológica, há uma discussão crescente sobre seus aspectos simbólicos, intersubjetivos e sociais. Buscamos nesse artigo discutir os achados acerca do TDAH e sobre as políticas públicas de inclusão que se desenvolveram até chegar às que incluem os transtornos do neurodesenvolvimento nos quais se incluem o TDAH. Unir a luta dos movimentos sociais pela inclusão aos conhecimentos científicos acerca do transtorno é fundamental para um bom planejamento e a boa prática das políticas que de fato respondam à necessidade dos que sofrem e não apenas reproduza a ideia de política vertical.