In Autumn 2020, DOAJ will be relaunching with a new website with updated functionality, improved search, and a simplified application form. More information is available on our blog. Our API is also changing.

Hide this message

Ensaio pré-clínico com desfibrilador externo = Pre-clinical trial with external defibrillator

Scientia Medica. 2014;24(4):336-342

 

Journal Homepage

Journal Title: Scientia Medica

ISSN: 1806-5562 (Print); 1980-6108 (Online)

Publisher: Editora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (EDIPUCRS)

Society/Institution: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

LCC Subject Category: Medicine: Medicine (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Spanish, Portuguese, English

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS


Vieira, Amanda Assunção

Rosa, Michele dos Santos Gomes da

Fagundes, Silvia Lemos

Silva, Jefferson Luis Braga da

Russomano, Thaís

EDITORIAL INFORMATION

Double blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 10 weeks

 

Abstract | Full Text

Objetivos: Avaliar a eficácia da desfibrilação em resposta à fibrilação ventricular induzida e descrever as mudanças macroscópicas ocorridas nos corações de suínos após choque de descarga capacitiva exponencial truncada aplicado por protótipo de desfibrilador produzido no Brasil e por um desfibrilador de referência, líder de mercado internacional. Métodos: Dezesseis suínos foram agrupados em quatro grupos de quatro animais, para verificar a eficácia da desfibrilação em resposta à fibrilação ventricular induzida, aplicando cargas de 50 J e 100 J, assim como avaliar a segurança dos desfibriladores usados, através de análises macroscópicas da pele e do coração. Foram avaliados eritema, edema, bolhas, líquido na cavidade pericárdica, queimaduras e tecido carbonizado pós-choque. Resultados: Todos os suínos, após um minuto da indução à fibrilação ventricular, desenvolveram taquicardia que progrediu à fibrilação ventricular. Quando utilizada baixa energia, o equipamento protótipo obteve 25% de sucesso com um suíno revertido, enquanto o equipamento referência obteve 50% de sucesso, com duas reversões. Entretanto, com energia a 100 J, o equipamento protótipo reestabeleceu o ritmo sinusal em três suínos (75%) e o equipamento referência realizou somente uma desfibrilação eficaz (25%). A aplicação de energia 100 J associou-se com queimadura cutânea de Grau II em apenas um suíno com o desfibrilador protótipo e em quatro suínos com o equipamento referência. As lesões do tecido cardíaco ocorreram em igual número com ambos os desfibriladores. Conclusões: O desfibrilador protótipo, quando aplicado com energia 100 J, demonstrou maior eficácia na reversão da fibrilação ventricular e apresentou menor injúria que o desfibrilador de referência com a mesma energia Este estudo ajudará a elevar o padrão tecnológico e a ampliar a oferta qualificada de equipamentos para a saúde produzidos no Brasil, substituindo e/ou diminuindo importações e oferecendo um dispositivo seguro de última geração