GESTÃO DA INFORMAÇÃO OU GESTÃO DO CONHECIMENTO? PERCEPÇÃO DE PROFISSIONAIS DA INDÚSTRIA DE SOFTWARE DE SANTA CATARINA

Perspectivas em Gestão & Conhecimento. 2014;4(2):67-89

 

Journal Homepage

Journal Title: Perspectivas em Gestão & Conhecimento

ISSN: 2236-417X (Online)

Publisher: Universidade Federal da Paraíba

Society/Institution: Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Coordenação do Curso de Administração

LCC Subject Category: Bibliography. Library science. Information resources

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS

Paulo Cristiano de Oliveira (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC)
Angelina Uesato Oshiro (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC)
João Artur de Souza (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC)
Gertrudes Aparecida Dandolini (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC)

EDITORIAL INFORMATION

Peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 12 weeks

 

Abstract | Full Text

Os termos Gestão da Informação (GI) e Gestão do Conhecimento (GC) têm sido abordados na literatura a partir de diversas perspectivas. Entretanto, há convergência que a gestão de informações e do conhecimento auxilia na tomada de decisão eficiente, na otimização de recursos e na conseqüente melhoria do desempenho da organização. Este estudo de tem como objetivo verificar a percepção de profissionais da indústria de software em uma empresa de médio porte de Santa Catarina sobre GI e GC, a partir de critérios indicados pela literatura. Os resultados indicam que houve convergência dos participantes com a visão da literatura, em relação aos critérios “Fenômenos centrais” da GI, “Visibilidade dos fenômenos” da GI e da GC, “Processos críticos“ da GI e da GC, “Nível de centralidade para a gestão estratégica“ da GI, “Influência da cultura organizacional sobre processos e resultados“ da GC e “Possibilidade de gerenciamento“ da GI e da GC. Entretanto, não houve convergência dos participantes em relação aos critérios “Fenômenos centrais” da GC, “Nível de centralidade para a gestão estratégica“ da GC e “Influência da cultura organizacional sobre processos e resultados“ da GI. Este trabalho contribui para uma oportuna discussão, pois, ao passo que a inovação tem sido colocada como questão estratégica fundamental para a empresa, a contínua e dinâmica interação e gestão do conhecimento tácito e do conhecimento explícito ainda não estão suficientemente claras. Isso pode revelar que há terreno fértil para que sejam desenvolvidas ações específicas tanto no âmbito da GI, quanto da GC, a partir do melhor entendimento e da integração dos conceitos e práticas relacionados a cada um deles.