Dilemas e hesitações da modernidade tardia e a emergência da sociedade de controle

Mediações: Revista de Ciências Sociais. 2010;15(2):78-98 DOI 10.5433/2176-6665.2010v15n2p78

 

Journal Homepage

Journal Title: Mediações: Revista de Ciências Sociais

ISSN: 1414-0543 (Print); 2176-6665 (Online)

Publisher: Universidade Estadual de Londrina

Society/Institution: Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciências Sociais

LCC Subject Category: Social Sciences: Social sciences (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: English, Portuguese

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS

Luís Antônio Francisco de Souza (Universidade Estadual Paulista)

EDITORIAL INFORMATION

Double blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 10 weeks

 

Abstract | Full Text

Pretende-se destacar os pontos fundamentais da discussão teórica sobre modernidade tardia. Autores como Giddens, Beck, Bauman, Sennett e Garland têm se debruçado nas últimas duas décadas sobre a caracterização social, histórica e teórica da modernidade nas sociedades ocidentais avançadas. Esta discussão, embora indispensável, não permite compreender os problemas desta nova etapa do capitalismo ocidental em termos de sua dimensão técnica e de controle social. O artigo argumenta favoravelmente à incorporação da analítica do poder de Michel Foucault e aponta sua atualidade e potencialidades. Este autor renovou as possibilidades teóricas das ciências humanas ao criticar uma visão naturalizada da história e dos acontecimentos históricos. A influência de sua obra, uma analítica da modernidade, pode ser observada no debate em torno da crise da modernidade e da emergência da sociedade de controle. Ao mesmo tempo, seu trabalho ajuda a compreender os principais dilemas e hesitações das sociedades contemporâneas.