Teoria da História – a escrita, o lugar do morto e do assombro: diálogos com Michel de Certeau

Tempo e Argumento. 2017;9(21):375-401 DOI 10.5965/2175180309212017375

 

Journal Homepage

Journal Title: Tempo e Argumento

ISSN: 2175-1803 (Online)

Publisher: Universidade do Estado de Santa Catarina

LCC Subject Category: History (General) and history of Europe: History (General): Modern history, 1453-

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese, Spanish; Castilian, French, English

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS

Leandro Seawright Alonso (Universidade de São Paulo - FFLCH/USP)

EDITORIAL INFORMATION

Peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 18 weeks

 

Abstract | Full Text

Pretende-se problematizar a escrita da História com base em uma parte da teoria do historiador francês Michel de Certeau. Para tanto, abordam-se outros autores, de lugares acadêmicos distintos, por meio dos quais se promovem diálogos epistemológicos com Certeau. A análise teórica que se segue busca dialogar com um conceito de escrita que considera a História como uma “escrita de mortos”. Expressões como escrita, narrativa, representação, morte e assombro são consideradas com o fito na “problematização” que se apresenta. De uma parte da obra de Michel de Certeau, almeja-se uma polissemia em contato com diferentes historiadores apresentados no desenvolvimento do texto; faz-se alusão a um episódio da peça shakespeariana “Hamlet” e às noções psicanalíticas apresentadas por Michel de Certeau com fulcro em textos de Sigmund Freud e Jacques Lacan.   Palavras-chave: Teoria da História. Escrita da História. História.