DESEMPENHO FINANCEIRO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TI: UMA APLICAÇÃO DE ANÁLISE FATORIAL

GESTÃO.Org : Revista Eletrônica de Gestão Organizacional. 2017;15(2):530-545 DOI 10.21714/1679-18272017v15n2.p530-545

 

Journal Homepage

Journal Title: GESTÃO.Org : Revista Eletrônica de Gestão Organizacional

ISSN: 1679-1827 (Online)

Publisher: Universidade Federal de Pernambuco

Society/Institution: Universidade Federal de Pernambuco

LCC Subject Category: Social Sciences: Commerce: Business

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese, Spanish; Castilian, English

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS

Mário Augusto Parente Monteiro (Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil)
Marcus Vinicius de Oliveira Brasil (Universidade Federal do Cariri, UFCA, Brasil)
José Leonel Paareja Credídio (Faculdade Ateneu, FATE, Brasil)
Danival Sousa Cavalcante (Universidade Federal do Cariri, UFCA, Brasil)
Milton Jarbas Rodrigues (Universidade Federal do Cariri, UFCA, Brasil)

EDITORIAL INFORMATION

Double blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 48 weeks

 

Abstract | Full Text

O estudo busca encontrar resposta para como avaliar de forma objetiva a qualidade da gestão de um empreendimento e, por extensão, de seus gestores. A resposta passa pela avaliação do desempenho financeiro das empresas pesquisadas. Com o fim de verificar os efeitos da crise financeira de 2008 sobre o desempenho do setor de TI, utiliza-se dados de dois períodos distintos, 2007 e 2009. Os dados obtidos da análise fatorial evidenciam que o desempenho financeiro das empresas brasileiras atuantes no setor de TI é explicado pelas variáveis associadas ao resultado operacional, nos dois períodos considerados (antes e após da crise de 2008). As variáveis relacionadas à estrutura patrimonial assumem maior relevância no período posterior a 2008, na medida em que é calculado um fator atribuível a elas. É possível, portanto, observar que a crise financeira de 2008 não produziu significativas alterações na composição do desempenho financeiro das empresas de TI, ainda que a maior relevância da estrutura patrimonial comprove que, diante das restrições existentes no mercado de crédito, tenha tornado o nível de endividamento (medida representativa da estrutura de capital) um diferencial de performance para empresas avaliadas.