Atos de cidadania europeia: uma sociologia política da mobilidade Acts of European citizenship: a political sociology of mobility

Contexto Internacional. 2011;33(1):179-208 DOI 10.1590/S0102-85292011000100008

 

Journal Homepage

Journal Title: Contexto Internacional

ISSN: 0102-8529 (Print); 1982-0240 (Online)

Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

LCC Subject Category: Political science: International relations

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Spanish; Castilian, French, Portuguese

Full-text formats available: PDF, HTML, XML

 

AUTHORS

Claudia Aradau
Jef Huysmans
Vicki Squire

EDITORIAL INFORMATION

Double blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 8 weeks

 

Abstract | Full Text

A cidadania europeia é marcada por uma tensão entre uma cidadania derivativa do Estado-nação e uma cidadania definida pela liberdade de movimento. Abordando essa tensão como sintomática de uma profunda contradição entre integração e mobilidade que é constitutiva das formações sociais modernas, este artigo desenvolve uma sociologia política da mobilidade que desafia as considerações territoriais e culturalistas sobre a cidadania europeia. Isso é feito explorando a representação política da cidadania europeia por parte de sujeitos marginalizados, cujo engajamento em relações de troca serve como lugar para atos de cidadania europeia que "mobilizam a mobilidade". Isso é ilustrado por uma análise da Declaração dos Direitos dos Trabalhadores Sexuais na Europa, de 2005.<br>European citizenship is marked by a tension: between a citizenship that is derivative of the nation-state and a citizenship that is defined by free movement. Approaching this tension as symptomatic of a deep-rooted contradiction between integration and mobility that is constitutive of modern social formations, this article develops a political sociology of mobility that challenges territorial and culturalist accounts of European citizenship. It does so by exploring the political enactment of European citizenship by marginalized subjects, whose engagement in relations of exchange serve as the ground for acts of European citizenship that 'mobilize mobility'. This is illustrated by an analysis of the 2005 Declaration for the Rights of Sex Workers in Europe.