Heidegger, leitor da retórica aristotélica

Aufklärung. 2017;4(0):87-104 DOI 10.18012/arf.2016.35904

 

Journal Homepage

Journal Title: Aufklärung

ISSN: 2318-9428 (Online)

Publisher: Universidade Federal da Paraíba

Society/Institution: Departamento de Filosofia, Programa de Pós-Graduação em Filosofia

LCC Subject Category: Philosophy. Psychology. Religion: Philosophy (General)

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: English, Portuguese, Spanish

Full-text formats available: PDF, HTML, ePUB

 

AUTHORS


Jesús Adrián Escudero (Universidade Autônoma de Barcelona)

EDITORIAL INFORMATION

Blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 4 weeks

 

Abstract | Full Text

O presente trabalho analisa a assimilação produtiva heideggeriana da retórica aristotélica que encontramos em suas lições de 1924, Conceitos fundamentais da filosofia aristotélica, e sua posterior repercussão nas análises do impessoal cotidiano e do falatório em Ser e tempo. Primeiro se apresentam as linhas básicas da interpretação do jovem Heidegger dos escritos práticos e políticos de Aristóteles (1). Em seguida se perfila com mais detalhe sua releitura com explicação ontológica da Retórica de Aristóteles, com especial atenção para o plano da comunicabilidade das opiniões (2). E, finalmente, se mostram os aspectos positivos e negativos contidos no fenômeno do falatório analisado em Ser e tempo, um fenômeno que condensa boa parte das interpretações da retórica aristotélica (3).