In Autumn 2020, DOAJ will be relaunching with a new website with updated functionality, improved search, and a simplified application form. More information is available on our blog. Our API is also changing.

Hide this message

Estatuto do Embrião Humano: Uma Visão Humanista

Gazeta Médica. 2017;3(4)

 

Journal Homepage

Journal Title: Gazeta Médica

ISSN: 2183-8135 (Print); 2184-0628 (Online)

Publisher: José de Mello Saúde

Society/Institution: José de Mello Saúde

LCC Subject Category: Medicine: Medicine (General)

Country of publisher: Portugal

Language of fulltext: English, Portuguese

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS


Sandra Paço (Hospital CUF Infante Santo, Lisboa, Portugal.)

Sérgio Deodato (Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, Portugal.)

EDITORIAL INFORMATION

Blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 9 weeks

 

Abstract | Full Text

Na atribuição de um estatuto ao embrião surgem díspares visões, podendo levar à tomada de posições diametralmente opostas em questões como abortamento, procriação medicamente assistida, diagnóstico genético pré-natal, uso de células estaminais e clonagem. Ocorrendo o desenvolvimento do ser humano num processo gradual, estas questões colocam dilemas éticos, que na sua essência têm a mesma origem, ou seja, o estatuto que se atribui ao embrião. Abordaremos, assim, esta temática através de diversas fontes, com diferentes perspetivas (biológica, ética e legal), tendo como foco de análise o estatuto atribuído ao embrião humano. Este estudo analisa alguns autores da bioética, sobretudo os de inspiração humanística e personalista, complementando-se esta perspetiva com a análise de alguns pareceres do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, de acordo com os valores da José de Mello Saúde. Na dimensão jurídica, analisam-se os principais normativos relacionados com a vida intrauterina, assim como alguns autores desta área. Pretendemos desta forma contribuir para o aprofundamento da reflexão ética no domínio do início da vida, nomeadamente as questões éticas e jurídicas relacionadas com o estatuto do embrião humano.