DIFICULDADES TÉCNICAS E CULTURAIS NAS CONTRATAÇÕES ELETRÔNICAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO FEDERAL DE ENSINO

GESTÃO.Org : Revista Eletrônica de Gestão Organizacional. 2013;11(3):545-558

 

Journal Homepage

Journal Title: GESTÃO.Org : Revista Eletrônica de Gestão Organizacional

ISSN: 1679-1827 (Online)

Publisher: Universidade Federal de Pernambuco

Society/Institution: Universidade Federal de Pernambuco

LCC Subject Category: Social Sciences: Commerce: Business

Country of publisher: Brazil

Language of fulltext: Portuguese, Spanish; Castilian, English

Full-text formats available: PDF

 

AUTHORS

Antonio Gil da Costa Júnior (Faculdades Integradas de Cacoal, Rondônia, Brasil)
Carlos Eduardo de Mira Costa (Universidade Federal de Itajubá, UNIFEI, Brasil)

EDITORIAL INFORMATION

Double blind peer review

Editorial Board

Instructions for authors

Time From Submission to Publication: 48 weeks

 

Abstract | Full Text

A presente pesquisa teve como propósito identificar como os sistemas eletrônicos de contratações criados pelo governo no cenário nacional estão ajudando a diminuir a morosidade dos processos, possibilitando uma maior transparência e maior economia; tendo como foco analisar as dificuldades técnicas e culturais enfrentadas pelos servidores. O objeto de estudo foi o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN, e os sujeitos os servidores responsáveis pelo processo de contratação eletrônica. Quanto aos procedimentos metodológicos utilizou-se o método de estudo de caso com abordagem qualitativa, com coleta de dados via entrevistas em profundidade e análise qualitativa de conteúdo. Pela análise das falas dos sujeitos constata-se que o processo de contratações eletrônicas é complexo e dinâmico, sendo perceptível a preocupação dos mesmos pela transparência, eficiência e celeridade do processo. Identificaram-se algumas dificuldades como a necessidade de uma maior integração entre os sistemas e um programa de capacitação permanente. Conclui-se que não basta apenas a existência de legislações para fazer o serviço público cumprir o seu papel. É necessário que os agentes públicos se sintam parte do processo, estando devidamente motivados e capacitados a exercerem essa função tão importante para a sociedade.